Passadiços do Paiva

A nossa experiência nos Passadiços do Paiva. Um passeio com paisagens de tirar o fôlego!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Passadiços do Paiva

Desde que soubemos da existência dos famosos Passadiços do Paiva, que tínhamos uma vontade enorme de lá ir, mas a oportunidade só surgiu muito recentemente. Fomos lá, fizemos o trajeto de ida e volta, adoramos, e agora partilhamos a nossa experiência, juntamente com fotos, muitas fotos! 😀

A NOSSA EXPERIÊNCIA

Fizemos a reserva online para os Passadiços do Paiva e recebemos os bilhetes por email em formato pdf. Esses bilhetes devem ser impressos e apresentados tanto à entrada como à saída dos passadiços.

Ao fazer a reserva tivemos de optar pelo local de entrada, Areinho ou Espiunca, nós escolhemos Espiunca. Se bem que para nós foi um pouco indiferente o local de entrada, já que fomos com a ideia de fazer o trajeto de ida-e-volta.

Só fomos nós e mais um casal, os filhotes não vieram por acharmos que seria penoso para eles, mas agora até gostávamos de lá voltar e levá-los connosco, nem que seja para fazer meio trajeto e relaxar na praia fluvial.

Poderíamos ter ido em ritmo de caminhada, mas não, preferimos o “ritmo de passeio”. Afinal, a nossa intenção era relaxar e espairecer em contacto com a natureza e paisagens de tirar o fôlego!

Editei um pequeno vídeo com uma compilação de algumas filmagens feitas durante o trajeto. Se bem que nenhum vídeo consegue transmitir as emoções sentidas ao contemplar a enorme beleza destas paisagens, pode ser que pelo menos “abra o apetite” a quem ainda não teve oportunidade de visitar os Passadiços do Paiva. Eis o nosso vídeo:

Chegamos à entrada dos Passadiços do Paiva, do lado de Espiunca, por volta das 11h30. Logo ali à entrada existe o “Bar dos Passadiços” onde se pode tomar café ou comer umas moelas, uma bola de berlim, gelados… como estávamos ansiosos pelo passeio nos passadiços, adiamos a ida a esse bar para quando regressássemos.

Fomos caminhando até chegarmos a uma pequena praia fluvial, a praia fluvial do Vau. Da entrada até essa praia, demoramos cerca de 1 hora. Provavelmente em ritmo de caminhada teríamos demorado menos de metade do tempo, mas lá está, a ideia era passear, desfrutar, tirar fotos, filmar e contemplar aquela magnífica paisagem!

Chegados à tal praia, e como já passava do meio-dia, decidimos fazer aí o nosso piquenique. A água convidava a um mergulho, mas estava tão gelada que só deu mesmo para molhar as pernas. Junto a essa praia fluvial existe um bar de apoio, mas encontrava-se encerrado quando por lá passamos. Na praia tem também uma fonte muito bonita.

Prosseguimos com a caminhada e deparamos-nos com uma pequena cascata. Não sei se é permitido sair do passadiço e descer até essa cascata (provavelmente não), mas nós fizemos isso e até nos pusemos mesmo por baixo da queda de água! 😛

Mais à frente chegamos à ponte suspensa que me fez lembrar os filmes do Indiana Jones! 😀

Essa ponte liga as duas margens do rio Paiva, não é exigida a sua passagem para prosseguir com o percurso, mas claro, todos quisemos atravessá-la.

Depois, muito mais para a frente em direção ao Areinho, quando já se começa a avistar uma enorme escadaria, íamos também avistando a enorme e belíssima Cascata das Aguieiras.

Quando chegamos à “enorme escadaria”, admito que pensei que não conseguiria terminar o trajeto. Não estava ainda totalmente esgotado pelo cansaço, mas achei que aquilo seria demais para mim! Mas não estava sozinho, e uns vão puxando pelos outros e lá conseguimos chegar ao topo. A vantagem é que de x em x degraus existem uns pequenos miradouros onde podemos ir parando e apreciando aquela magnífica paisagem que até parece dar motivação para prosseguir.

Terminamos o percurso até ao Areinho por volta das 15h30. Estava na hora de regressar a Espiunca. Existe sempre a hipótese de regressar de taxi, mas o nosso compromisso inicial era fazer o trajeto de ida-e-volta, e queríamos cumpri-lo!

O regresso já fizemos com mais algumas paragens pelo caminho, estávamos todos visivelmente cansados! Cansados mas felizes! 🙂

Ao passarmos novamente pela ponte suspensa, aproveitamos para encher as garrafas com água do que nos pareceu ser uma pequena mina. Mais à frente, depois de já termos bebido 1 litro dessa água, fomos informados que a mesma não era própria para beber! Até ao momento não tivemos qualquer sintoma… 😀

Eis mais algumas fotos tiradas durante o percurso:

Chegamos à entrada do lado de Espiunca já perto das 18h30. Estávamos radiantes, bastante satisfeitos com o passeio… e cansados, muito cansados!

Este nosso passeio nos Passadiços do Paiva valeu muito a pena e a vontade de voltar é enorme! Apesar de cansativo, posso afirmar que foi dos passeios mais agradáveis que já fiz.

E você? Já visitou os Passadiços do Paiva? Conte-nos como correu! 😉

Talvez lhe interesse:

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.